14 de abr de 2009

Peça-me!não peça...


Peça-me o que quiser

mas não me peça

para que eu não peça

o direito ao prazer

de olhar pra você


agora me peça

o que quiser

que eu faço

eu traço

anulo meu ser


agora não peça

para eu fingir

o que não sei ser

nem peça para

meu ser


não querer você... pois é seu o meu ser, todo seu o meu ser


peça-me tudo

porém, não peça

para eu não ser você

pois misturou-se

ao meu ser


peça sempre

o que quiser e pensar

mas não pense

em querer pedir

menos do que eu possa dar


peça-me tudo

e nunca me peça

limites no desejo

de tocar “se us” "me us" cabelos

e amar


peça-me tudo

e nunca, porém,

o limitar ensaios

dos amores,

que ainda não sei dar


peça-me! pois é seu o meu ser, todo seu o meu ser


Du Domeneghetti

6 comentários:

Mirse disse...

Vim retribuir a visita e aplaudir o lirismo desse poema.
"Não peça para eu fingir para eu fingir o que não sei ser"

Maravilhoso!

Parabéns!

Abraços

Mirse

Dany Ziroldo disse...

Posso pedir uma coisa?

Nunca pare de poetar...

Saudades de vc... Saudades dos duos...

Bjsss

Dany

Úrsula Avner disse...

Oi Du, um mimo de texto poético onde seu eu-lírico transborda ! Bjs.

Flor Baez disse...

Muito bom! Imaginei o Francesco declamando!

Danilo disse...

Quanta paixão!

Beijos com recheio e cobertura de poesia!

=D

BAR DO BARDO disse...

a um pedido desses...

sim.