25 de mar de 2009

Molhar-me





Preso a essa chuva.
Olhar-te virou minha profissão
remunerada de alegrias, por ver teus olhos.
fitando o nada, embaçado dessa janela,
chuva que escolheu prender-se.
Aperceba-se de minha presença...
distante, sou constante... Vento...
nessas chuvas,
vou ficando por aqui
Molhar-me-ia se permitisse.
Se sozinho... resolver partir...
na chuva...
Demita-me de meus sonhos, devolva meus olhares...

2 comentários:

ESQUADROS disse...

Chuvas e flores
isso me cheira à felicidade...
gosto muito disso!!!

Úrsula Avner disse...

Oi Du, delicada poesia ! Seu blog é encantador. Amei contatar voce. Cheguei ao seu blog através de blogs de amigos e gosteimuito do que li e vi. Bjs .